Terça-feira, 13 de Maio de 2008

Ciencia 2008 Aveiro I

Ciência
Governo anuncia em Aveiro mais bolsas e contratos para investigação 
12.05.2008 - 09h27 Lusa

O primeiro-ministro preside hoje na Universidade de Aveiro à apresentação de medidas do governo para o desenvolvimento científico e à divulgação dos resultados do investimento governamental em Ciência.

Entre as várias medidas a anunciar figura o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) à integração, em 2008, de cinco mil "estudantes de formação avançada" na investigação, a criação de cátedras convidadas nas Universidades com o apoio do Estado e das empresas, o lançamento de concursos para novas bolsas de investigação e a contratação de mais 500 investigadores doutorados.

As medidas a anunciar têm especial incidência na inserção profissional dos investigadores que fazem doutoramento ou pós-doutoramento, e, segundo fonte académica, são aguardadas com expectativa para saber "se o Governo se decide a estimular a carreira de investigação, ou se, na prática, continua a não abrir as carreiras que existem, mantendo a precaridade".

"Caso a contratação de mais 500 investigadores doutorados seja feita por contratos a termo, significa que o governo persiste em não abrir as carreiras", comentou a mesma fonte.

Através da FCT e mediante a celebração de contratos-programa com as instituições, o Governo já havia promovido, em 2007, a abertura de concursos para a admissão de mil doutorados, através de contratos de trabalho a termo certo.

Já a integração de cinco mil "estudantes" na investigação, mediante a celebração de contratos, é vista como uma medida relevante para aqueles que estão a fazer formação pós-graduada porque "sempre permite terem alguns direitos sociais" que a tradicional atribuição de bolsas não confere.

"Passam a ter assistência médica e a estar inseridos no sistema de segurança social, nomeadamente para efeitos de descontos para a reforma, embora signifique também que passam a estar sujeitos ao pagamento de impostos", explicou a mesma fonte.

Um estudo comparativo dos vários sistemas europeus, da consultora Deloitte, publicado em Março deste ano, revela que, no caso dos doutoramentos é mais frequente a atribuição de bolsas do que o financiamento a doutorandos com contrato de trabalho, enquanto nos pós-doutoramentos a situação mais generalizada é o financiamento com contrato de trabalho.

No caso espanhol, há instituições que têm um sistema misto, em que o doutorando tem uma bolsa nos dois primeiros anos e passa a ter contrato de trabalho nos dois anos subsequentes.

Em termos sociais, os países que mais benefícios concedem no que diz respeito à família, à educação dos filhos ou à deficiência são a Alemanha, o Reino Unido e a Suiça.

Em 2007, a FCT suportou um total de 101,6 milhões de euros em bolsas de formação avançada através de concurso público ou através de projectos de investigação e desenvolvimento, sendo estimada em 32 milhões de euros a despesa com a contratualização de doutorados.

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1328445

publicado por pjnsilva às 19:17
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Universidades usam bolsei...

. A "nova" emigracao

. Paulo 2008 Nature

. Medida 2.3 do Programa Op...

. A realidade e enganosa

. Encontro com a Ciência 20...

. ES e Investigacao PCP 25 ...

. ES e Investigacao PCP 11 ...

. ES e Investigacao PCP 11 ...

. Ciencia 2008 Aveiro I

.arquivos

. Outubro 2010

. Junho 2010

. Junho 2009

. Julho 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds